Pular para o conteúdo principal

MESQUITAS MUÇULMANAS NO BRASIL !!!!





O QUE NÓS CRISTÃOS PRECISAMOS SABER SOBRE OS MUÇULMANOS


"Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem."
(1 Tm 2:5 ).


1. ALGUNS ASPECTOS DE SUA CRENÇA


Há cerca de 1 bilhão de muçulmanos em nosso mundo. Eles seguem a religião chamada Islamismo. Abaixo estão listados seus principais ensinamentos:


Há somente um Deus - Allah. Ele é o criador de todas as coisas. Ele exige total obediência, verdade e fé de seus seguidores.

Maomé foi o último e mais importante dos profetas de Allah. Ele recebeu a completa revelação de Allah por intermédio do anjo Gabriel. Allah enviou muitos profetas, mais de 24 profetas, sendo que Adão e Isa (Jesus Cristo) foram um deles.

Alcorão é o livro sagrado dos muçulmanos. Ele é a palavra de Deus escrito direto a Maomé. Diz-se que tudo que o ser humano precisa saber está escrito no Alcorão.

O dia do julgamento está próximo. Um dia, todos os mortos serão trazidos a vida. O anjo de Allah questionará a cada ser humano sobre a vida que levaram aqui na terra. Allah então julgará cada homem e cada mulher.

Ao ler o Alcorão podemos observar nitidamente uma mistura de cristianismo e judaísmo. Maomé, durante suas viagens pelo oriente, teve contato com muitas culturas e isto certamente o influenciou ao escrever o Alcorão e outros livros.


Para se conhecer a fundo o Islamismo, os muçulmanos, seu modo de vida e sua cultura é preciso investir em literatura e despender de um bom tempo de leitura ou pesquisa pela Internet.
O Islamismo é sustentado por 5 pilares : "Os 5 pilares do Islamismo".

1. Testemunho (Shahadah): É o credo muçulmano, o mais curto do mundo. Os muçulmanos repetem este credo mais do que qualquer um. Ele consiste de somente oito palavras árabes traduzidas como: "Não há deus mas Deus, e Maomé é o apóstolo de Deus". Eles repetem este credo em suas orações e muitas outras vezes durante o dia. Eles o recitam, como um grito na batalha, celebrando o nascimento de um bebê, e como um salmodiar ou hino fúnebre.

2. Oração (Salat): Eles oram 5 vezes ao dia: na alvorada, logo após o meio-dia, duas horas antes do pôr do sol, logo após o pôr do sol, e duas horas após o pôr do sol. Antes de orar, um muçulmano precisa remover seus sapatos, lavar seus pés, mãos e parte de sua face, e virar em direção a Meca, cidade sagrada para os muçulmanos. Eles oram em Mesquitas ou qualquer lugar que for considerado limpo para as orações.

3. Caridade (Zakat): Cada muçulmano adulto que é livre, são e que possui propriedades precisa fazer a obra de caridade. É cobrado uma taxa de 2 ½ % de sua renda bruta afim de ajudar o pobre. Cada pessoa distribui sua própria esmola, se ela se considera digna de confiança. Geralmente os muçulmanos dão esmolas de compaixão e o pobre recebe sem gratidão.


4. Jejum (saum): Dos diversos jejuns muçulmanos, o mais importante ocorre no nono mês do calendário islâmico, mês de Ramadam. Este jejum é uma exigência para um muçulmano. Eles acreditam que as portas do paraíso estão abertas e as portas do inferno estão fechadas durante o Ramadam, assim todas as pessoas que mantém o jejum serão perdoadas de seus pecados desculpáveis.

5. Peregrinação (hajj): Cada adulto muçulmano fará uma peregrinação a Meca uma vez durante sua vida, se estiver livre, são, sadio e tiver dinheiro suficiente para prover a sua viagem e sustentar suas famílias quando estiver longe de casa.

6. Muitos acrescentam a Guerra Santa (jihad). Todos os homens muçulmanos livres, que possuem a mente e corpo sadio, e que tenham meios suficientes para alcançar o exército muçulmano precisam estar envolvidos na guerra santa. Eles consideram a guerra santa uma instituição divina, e a usam para avançar o Islã e a repelir o mal dos muçulmanos. Jihad: esforço santo em favor de Allah. Os muçulmanos que morrem na guerra santa garantem sua salvação no paraíso com privilégios especiais.


2. CRENÇAS MUÇULMANAS SOBRE CRISTO E O CRISTIANISMO

Acreditam que judeus e cristãos distorceram o Antigo e Novo Testamento para esconder as profecias da vinda de Maomé.
Supõem que os cristãos acreditam em três deuses. O Alcorão ensina que a Trindade Cristã é composta por Deus, Maria e Jesus. Jesus não é filho de Deus pois Deus não teve esposa.
Crêem que Jesus não morreu na cruz, mas outra pessoas (sura 4.156,157). Eles acham que Deus salvou Jesus da Cruz afim de salvar Sua honra.
Salvação está envolvido em seguir os 5 pilares e o Alcorão. A única exceção é o pecado e associar outros deuses com Allah. Este pecado não pode ser perdoado.
O medo permeia o Islã. Eles temem o inferno, ou purgatório. Eles sabem que não é possível cumprir todas as exigências de sua fé. Eles acreditam que nenhuma pessoa pode pagar o pecado por outra. Portanto, eles precisam sofrer pelos seus próprios pecados, mas que eventualmente serão livrado do purgatório porque Maomé intercede por eles. O descrente que associar qualquer deus com Deus, sofrerá castigo eterno.


3. COMO EVANGELIZAR OS MUÇULMANOS

Inicialmente é preciso meditar em algumas passagens antes de iniciarmos o ministério de evangelização de muçulmanos.

"Assim nós, sendo-vos tão aperfeiçoados, de boa vontade quiséramos comunicar-vos, não somente o evangelho de Deus, mas ainda a nossa própria alma; porquanto nos éreis muito queridos" (I Ts 2.8)

"não dando nós escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja censurado. Antes, como ministros de Deus, tornando-nos recomendáveis em tudo: na muita paciência, nas aflições, nas necessidades, nas angústias, nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, na pureza, na ciência, na longanimidade, na benignidade, no Espírito Santo, no amor não fingido, na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça, à direita e à esquerda, por honra e por desonra, por infâmia e por boa fama, como enganadores e sendo verdadeiros; como desconhecidos, mas sendo bem conhecidos; como morrendo e eis que vivemos; como castigados e não mortos; como contristados, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo e possuindo tudo. Ó coríntios, a nossa boca está aberta para vós, o nosso coração está dilatado. Não estais estreitados em nós; mas estais estreitados nos vossos próprios afetos. (2 Co 6:3-12)

Destas passagens é possível extrair 4 características principais quanto a aproximação com os muçulmanos: Devemos ser suficientemente puro para ser respeitado, precisamos praticar o jejum Bíblico e oração suficientes para amarrar o valente, devemos ter fé suficiente para sinais e maravilhas, e devemos ter amor suficiente para desenvolver amizades com os muçulmanos.

Abaixo estão listadas algumas dicas para uma efetiva aproximação com os muçulmanos objetivando evangelizá-lo.


1)Leia a Bíblia constantemente e estude passagens evangelísticas.

2)Tenha convicção de sua fé em Jesus Cristo. Muitos cristãos tem se convertido ao Islamismo.



3)Estude sobre os pontos críticos entre o Islã e o Cristianismo. Procure responder, dentro da Bíblia, com sabedoria, estas questões.


4)Aprenda mais sobre a cultura daquele muçulmano que você irá se aproximar: língua, comida, costumes, etc. Qualquer "passo em falso" pode por tudo a perder.


5)Tenha a atitude de aproximação como Cristo.


6)ORAR! ( a oração quebra nosso coração e o coração do muçulmano).


7)Seja sensível e pessoal.


8)Coloque você no lugar do muçulmano.


9)Compartilhe seu testemunho pessoal.


10)Desenvolva relacionamentos com muçulmanos a longo prazo, eles precisam observar sua consistente vida cristã. O muçulmano não confiará no Evangelho até primeiro confiar em você. Ele não aceitará o Salvador até ele aceitar você.


11)Respeite os muçulmanos.


12)Ame os muçulmanos, eles precisam sentir o "calor" do amor cristão. Satanás não consegue imitar este amor.


13)Demonstre que você se preocupa com eles, não somente com as suas almas.


14)Inicie com as crenças que você tem em comum com os muçulmanos


15)Demonstre para eles hospitalidade.


16)Dê a seu amigo muçulmano um Novo Testamento ou porção.


17)Use a palavra de Deus quer ele creia ou não na Bíblia (Hb 4. 12,13)


18)Sê possível, orem juntos na linguagem dele ou dela.


19)Encoraje-o a crer com você num milagre de Deus.


20)Pergunte se ele teve sonhos significativos. Devemos orar pedindo que a Palavra de Deus surta efeito por meio de sonhos. Eles acreditam muito em sonhos, e muitos tem se convertido ao cristianismo por intermédio de sonhos.


21)Seja sensível ao Espírito Santo.


22)Exalte Jesus. Não insulte Maomé e nem o Alcorão.


23)Permita que o muçulmano tire sua própria conclusão concernente ao profeta Maomé e a autoridade do Alcorão.


24)Dê ao muçulmano tempo para refletir, compreender e considerar as conseqüências . Ele pagará um preço muito árduo. Ele precisa desejar a conversão.

O QUE VOCÊ NÃO DEVE FAZER:


NÃO discuta, antes testemunhe e use a razão.
NÃO confronte.
NÃO aproxime-se dos muçulmanos com a atitude de convertê-los ao cristianismo.
NÃO pressione o muçulmano a confessar uma decisão prematura.
NÃO contrarie ou atacar sua pregação.
NÃO tenha medo de dizer: "Não sei".
NÃO fale ao muçulmano sobre sua fé na presença de outro muçulmano.
NÃO faça celebridade de um novo convertido.
NÃO evangelize a pessoas do sexo oposto.
NÃO demonstre atitude de superioridade.
NÃO pergunte ao muçulmano se deseja ir ao céu ,a não ser que você explique que o céu é onde Deus está.
NÃO dificulte para um muçulmano se tornar cristão ( At 15.19 e Gt 2. 14).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que significa "Afasta de mim esse cálice"?

“E adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres” (Mt 26:39)
 Uma notável discussão surge com relação ao verdadeiro significado do “cálice” citado por Jesus em Mt 26:39-42; Mc 14:36 e Lc 22:42.
 Essa discussão envolve: 1. A afirmação de que este cálice seria o medo de Cristo frente ao martírio que viria a acontecer; 2. A afirmação de que este cálice seria o medo de Cristo frente ao desconhecido que estaria por vir; 3. A afirmação de que este cálice seria o horror e a angústia que Cristo sentia diante do fato de saber que estaria sendo levado frente ao julgamento Divino.
 Com isso estabelece-se a discussão, e por isso se faz necessário analisar cada uma das afirmações citadas na busca pela compreensão do real significado do texto bíblico.
1. Medo frente ao martírio que viria a acontecer.
 Será que Cristo tinha medo de morrer?
 Ora, por diversas vez…

Salmos 90:12

"Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio." A cada dia estamos ficando velhos. Partes do nosso corpo já funcionam de maneira diferente ao que funcionavam há alguns anos atrás. Não fique triste por isso. Alegre-se, pois isso está ensinando que a vida terrena não é eterna, pois o melhor já está preparado para possuirmos: um novo corpo glorificado. Quando contamos os nossos dias, valorizamos cada instante proporcionado por Deus. Aprendemos a viver bem aqui, para, assim, conhecermos a verdadeira vida prometida por Deus. Contar os nossos dias é saber que "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus", é poder dizer "tudo posso naquele que me fortalece", é dizer ao Pai: "seja feita a Sua vontade", é "entregar o caminho ao Senhor, confiar Nele, sabendo que tudo que necessito será acrescentado". Estas são as maravilhas de Deus para os seus filhos. É Ele mesmo que nos convida a contarmos cada …
A profecia bíblica não serve para satisfazer a pura curiosidade nem para especulações malucas ou para “revelações” particulares. Pelo contrário, ela nos fará praticantes da Palavra, cristãos com Jesus no centro de suas vidas, que vivem e agem de acordo com essa realidade. O próprio Senhor nos exorta a analisar o tempo em que vivemos à luz da profecia bíblica. Profecia hoje: sinais dos tempos Quando os fariseus e saduceus tentaram o Senhor Jesus pedindo-Lhe que mostrasse um sinal do céu, Ele lhes respondeu: “Chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está avermelhado; e, pela manhã: Hoje, haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?” (Mt 16.2-3). Os religiosos daquela época não perceberam que o maior sinal de todos os tempos encontrava-se, em carne e sangue, bem à sua frente, e este era o Salvador Prometido. E hoje, diant…