A Definição de Evangelismo

A palavra “evangelismo” (ou evangelização) vem de uma palavra grega, “euangelion”. Há realmente quatro formas básicas desta palavra. Uma palavra significa “boas notícias”; duas palavras significam “proclamar as boas novas”, e uma palavra se refere ao “evangelista” ou a pessoa que faz a proclamação.

Evangelismo é a Igreja trabalhando para o Senhor. No evangelismo a ênfase está na experiência do novo nascimento, o inicio da vida espiritual.
Evangelismo é:

“... comunicar o evangelho através do poder do Espírito Santo de tal maneira que homens e mulheres tenham uma válida oportunidade de aceitar ou rejeitar a Jesus Cristo como Salvador e Senhor e se tornarem membros de sua igreja”.

Como iniciou o evangelismo

    O evangelismo no sentido do cristianismo, inicia-se com o próprio ministério de Jesus Cristo que, ao escolher seus doze discípulos, os preparou para espalhar (pregar) a mensagem de boas novas. Mt 4.17-25

A responsabilidade agora é minha

Os cristãos devem pessoalmente assumir a responsabilidade de transmitir o evangelho. A Bíblia diz em Mateus 9:37-38 “Então disse Jesus a seus discípulos: Na verdade, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara”. O evangelismo é um trabalho para todos os Cristãos em todo o mundo.

Deus nos chama a ser representantes de Jesus. A Bíblia diz em 2 Coríntios 5:20 “De sorte que somos embaixadores por Cristo, como se Deus por nós vos exortasse. Rogamo-vos, pois, por Cristo que vos reconcilieis com Deus.”

Porque devemos evangelizar?

a)Não queremos responder esta pergunta para simplesmente termos um conhecimento teórico das razões bíblicas para evangelizarmos. Mas para encontrarmos as motivações bíblicas para a evangelização, porque a motivação brota do coração, e a obra de evangelização deve ser feita por um coração dominado pelo amor a Deus e ao próximo.

b) Por outro lado precisamos evangelizar para cumprir o Ide de Jesus. Mt 28.18. Aí de mim se não anunciar o evangelho...., Jesus nos comissionou a um sagrado encargo de anunciar o evangelho de Deus. Rm 15.16b. Devemos livrar os que estão sendo levados para a morte, salvar os que cambaleiam indo para serem mortos. Pv: 11.24

c) Quando contemplamos o amor de Deus por nós, este nos coloca um sentimento de gratidão a Ele por nossa salvação em Cristo. A melhor forma de demonstrarmos gratidão a Deus é compartilharmos com os outros o amor de Cristo e a nossa fé nEle.

Sabemos que só há um meio para a salvação – Jesus Cristo. E somente nós, os cristãos, temos este pleno conhecimento. Como poderíamos então deixar de falar de Cristo? Tendo conhecimento das motivações anteriores, chegamos a conclusão que o ato de não evangelizar é um ato de profundo egoísmo. Sendo, assim, um pecado. Devemos evangelizar porque amamos o nosso próximo e não queremos vê-lo perdido eternamente. Paulo, dominado por este amor, estava disposto a sacrificar a própria vida na pregação do evangelho (At 20:19-24)

Como devemos Evangelizar?

Comunicando o Evangelho de Cristo a (todo) pecador sob a liderança e poder do Espírito Santo. A mensagem do Evangelho e a persuasão do Espírito Santo faz com que o pecador aceite Cristo como seu Salvador Pessoal e se torne também um seguidor (discípulo) de Cristo.

    Nem toda mensagem é evangelística. Muitos tentam evangelizar sem dar ao pecador a mínima orientação sobre a salvação e como obtê-la. Muitos tentam tornar mais agradável aos outros a mensagem do evangelho. Por isso não falam de pecado, de arrependimento e renúncia. É o pseudo-evangelho das conveniências humanas, da vida sem problemas e da inexistência de crises. Com isso a igreja cresce, mas as almas continuam perdidas.

     Portanto devemos falar de Jesus Cristo, ao sairmos para evangelizar. Dizer que todos nós temos problemas, mas que com Cristo nós temos a solução para os nossos problemas, e só Ele salva.

    Chegue com alguém, puxe conversa, faça amizade, indague sobre sua vida, tente tornar-se íntimo dessa pessoa, até você ter oportunidade de falar de Cristo. Se você falar abruptamente de Jesus, há pessoas que vão ouvir, mas outras não lhe darão ouvidos. (não espante o peixe, pegue-o).

a) Proclamação – Seria a comunicação ao pecador a respeito de sua condição de escravo do pecado, da natureza e conseqüência dessa escravidão, do amor de Deus e Sua providência em Jesus Cristo para salvação deste e da chamada divina para uma decisão por Cristo Jesus.

b) Convencimento – O evangelista nesta ação seria apenas um instrumento nas mãos do Espírito. Pois é o Espírito que convence e muda o coração do pecador.

c) Integração – Depois da conversão do pecador, este deve ser levado a um compromisso com o corpo visível de Cristo (a Igreja), onde seria discipulado e levado ao desenvolvimento e amadurecimento da sua fé em Cristo Jesus (Ef 4:12,13).

Nenhum comentário:

Postar um comentário