Pular para o conteúdo principal

Barreiras à Evangelização

Jesus e seus apóstolos chamaram a todos nós, que conhecemos a Jesus Cristo, para a tArefa de alcançarmos as pessoas à nossa volta. Entretanto, se formos honestos, teremos que admitir que a grande maioria acha esse chamado muito difícil, se não quase impossível. Posto frente a frente com o desafio de tornar o Evangelho conhecido das pessoas de nossas famílias, locais de trabalho e vizinhança, muitos de nós nos sentimos impotentes, desanimados e vencidos. Pode ser que você não se sinta tão desanimado sobre evangelização, mas bem poucos crentes acham fácil ou cômoda a tArefa de compartilhar o Evangelho.
1ª Barreira: O muro da culpa
InfeliZmente, muitos crentes têm medo de evangelização e podem chegar até ao ato deliberado de faltar à Igreja quando este é o tema proposto do sermão. Por que isto ocorre? A triste verdade é que frequentemente a pregação e ensino a respeito da evangelização opera através da tentativa da indução de culpa.

2ª Barreira: Falta de confiança
Outro muro interior é nossa falta de confiança na nossa habilidade de apresentar o Evangelho de maneira clara, ou de responder aos desafios que as pessoas possam eventualmente apresentar contra a mensagem cristã. neste momento, lembre-se do apóstolo Paulo que, mesmo com muita resistência, não deixou de evangelizar.
Conhecer nossos próprios temores e fraquezas é o ponto de partida para todo crescimento, porque esse conhecimento nos leva a orar por nós mesmos e requer de nós reconhecer, perante os outros, que não somos de maneira alguma adequados para as tarefas para as quais Deus nos chamou.

3ª Barreira: Incerteza sobre o método evangelístico
Uma terceira barreira interior com a qual muitos de nós lutamos é a incerteza, confusão e, talvez, aversão a alguns métodos evangelísticos que nos são impostos e são comumente praticados. Existem muitos testemunhos de cristãos tímidos que tomaram coragem e receberam ousadia do Senhor para irem de porta em porta para anunciar as boas novas da salvação e obtiveram resultados maravilhosos. Existem vários métodos para se evangelizar. O importante é saber usar cada um com sabedoria e ousadia e, nunca esquecer que Jesus é o fundamento da evangelização e que toda glória é Dele.

4ª Barreira: Supercomprometimento
Podemos também sentir barreiras de ansiedade interior sobre assumir compromissos demais ou querendo evitar ter nossa privacidade e espaço pessoal invadido por estranhos que não desejamos realmente conhecer. Muitos de nós já está até o pescoço com tantas atividades da Igreja. O importante é nunca esquecer que a comissão principal de uma Igreja é semear a boa semente. Deve haver tempo para proclamar o Evangelho. É necessário avaliar as tantas atividades realizadas que lhe compromete a tarefa de levar a Palavra. Avalie seus compromissos. reduza-os, se for possível, mas NÃO deixe de "anunciar o evangelho a toda criatura".

Lembre-se: muitas barreiras são levantadas por nós mesmos e, 
por nós mesmos elas serão derrubadas!

Boa evangelização! 
Reúna os irmãos, prepare todo o material e IDE! 










Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que significa "Afasta de mim esse cálice"?

“E adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres” (Mt 26:39)
 Uma notável discussão surge com relação ao verdadeiro significado do “cálice” citado por Jesus em Mt 26:39-42; Mc 14:36 e Lc 22:42.
 Essa discussão envolve: 1. A afirmação de que este cálice seria o medo de Cristo frente ao martírio que viria a acontecer; 2. A afirmação de que este cálice seria o medo de Cristo frente ao desconhecido que estaria por vir; 3. A afirmação de que este cálice seria o horror e a angústia que Cristo sentia diante do fato de saber que estaria sendo levado frente ao julgamento Divino.
 Com isso estabelece-se a discussão, e por isso se faz necessário analisar cada uma das afirmações citadas na busca pela compreensão do real significado do texto bíblico.
1. Medo frente ao martírio que viria a acontecer.
 Será que Cristo tinha medo de morrer?
 Ora, por diversas vez…

Salmos 90:12

"Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio." A cada dia estamos ficando velhos. Partes do nosso corpo já funcionam de maneira diferente ao que funcionavam há alguns anos atrás. Não fique triste por isso. Alegre-se, pois isso está ensinando que a vida terrena não é eterna, pois o melhor já está preparado para possuirmos: um novo corpo glorificado. Quando contamos os nossos dias, valorizamos cada instante proporcionado por Deus. Aprendemos a viver bem aqui, para, assim, conhecermos a verdadeira vida prometida por Deus. Contar os nossos dias é saber que "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus", é poder dizer "tudo posso naquele que me fortalece", é dizer ao Pai: "seja feita a Sua vontade", é "entregar o caminho ao Senhor, confiar Nele, sabendo que tudo que necessito será acrescentado". Estas são as maravilhas de Deus para os seus filhos. É Ele mesmo que nos convida a contarmos cada …
A profecia bíblica não serve para satisfazer a pura curiosidade nem para especulações malucas ou para “revelações” particulares. Pelo contrário, ela nos fará praticantes da Palavra, cristãos com Jesus no centro de suas vidas, que vivem e agem de acordo com essa realidade. O próprio Senhor nos exorta a analisar o tempo em que vivemos à luz da profecia bíblica. Profecia hoje: sinais dos tempos Quando os fariseus e saduceus tentaram o Senhor Jesus pedindo-Lhe que mostrasse um sinal do céu, Ele lhes respondeu: “Chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está avermelhado; e, pela manhã: Hoje, haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?” (Mt 16.2-3). Os religiosos daquela época não perceberam que o maior sinal de todos os tempos encontrava-se, em carne e sangue, bem à sua frente, e este era o Salvador Prometido. E hoje, diant…