Pular para o conteúdo principal

Entendendo o caminho das aflições


“E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança. O qual, tendo recebido tal ordem, os lançou no cárcere interior, e lhes segurou os pés no tronco. E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos.” Atos 16:23-26

Este cenário em que narra um dos momentos da história de vida de Paulo e Silas não é nada atraente. Ver dois servos de Deus presos por causa de sua fé faz-nos pensar, no primeiro momento, que Deus não está se importando com eles. Mas o que não podemos deixar passar despercebido é como eles chegaram nesta situação, e quem os conduziu até lá. Compreendendo a caminhada deles, vai fazer toda a diferença na nossa vida.

Olha quem os levou para aquela direção:
“E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia. E, quando chegaram a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito não lho permitiu. E, tendo passado por Mísia, desceram a Trôade.” Atos 16:6-8

Foi o próprio Espírito Santo!

Mas por que saber disso vai fazer toda a diferença?

Porque teremos condições suficientes para saber que “o caminho de Deus é perfeito”(Sl 18:30a), ou seja, Ele sabe por onde está nos conduzindo. Ainda que seja um caminho diferente do que esperávamos, vai no levar para mais perto Dele, da maneira Dele e para a glória Dele.

E também faz toda a diferença porque ”a palavra de Deus é provada”(Sl 18:30b). Sim, isso mesmo, a palavra de Deus é experimentada na prática (duro, né?). Mas é assim que Paulo e Silas viveram o seu ministério. E por que seria diferente conosco, visto que escolhemos andar junto de Deus?

Ah, agora vem a melhor parte. Faz a diferença porque quando pensamos que já estamos perdidos e que nada vai acontecer, Deus entra no cenário (aliás, Ele nunca sai) e mostra que “é um escudo para todos os que nele confiam.” (Sl 18:30c)

Confiar em Deus é a nossa principal necessidade quando o caminho parece difícil, quando pensamos que estamos sozinhos e quando nos entristecemos, achando que pegamos o caminho errado.

Andar com Deus é acertar o caminho, é pregar a verdade ainda que “acabe com o lucro de alguns senhores” (At 16:19); ainda que “nos apresente aos magistrados, e digam: Estes homens perturbaram a nossa cidade,”(At 16:20); ainda que “a multidão não goste de nós e rasgue as nossas vestes” (At 16:22); ainda que “nos deem muitos açoites e nos lancem na prisão” (At 16:23)

Deus sabe o que faz. Ele só precisa que obedeçamos a Ele. Ele aponta o caminho para eu e você entrarmos, pois o resto Ele cuidará de forma sobrenatural. Isso mesmo que aconteceu dentro daquele cárcere. Um terremoto, algo muito sobrenatural foi vivido por aqueles dois crentes que decidiram seguir a direção de Deus. Até mesmo amarrados, eles tinham uma canção para o Senhor, pois sabiam que não estavam sozinhos naquela situação. Quem os conduziu para lá sabia o que estava fazendo.

Creia nisso. Deixe Deus lhe conduzir aos caminhos que florescerão de forma sobrenatural.

Deus abençoe.

Usei a Bíblia na Tradução Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Autora: Marlene Mello


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que significa "Afasta de mim esse cálice"?

“E adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres” (Mt 26:39)
 Uma notável discussão surge com relação ao verdadeiro significado do “cálice” citado por Jesus em Mt 26:39-42; Mc 14:36 e Lc 22:42.
 Essa discussão envolve: 1. A afirmação de que este cálice seria o medo de Cristo frente ao martírio que viria a acontecer; 2. A afirmação de que este cálice seria o medo de Cristo frente ao desconhecido que estaria por vir; 3. A afirmação de que este cálice seria o horror e a angústia que Cristo sentia diante do fato de saber que estaria sendo levado frente ao julgamento Divino.
 Com isso estabelece-se a discussão, e por isso se faz necessário analisar cada uma das afirmações citadas na busca pela compreensão do real significado do texto bíblico.
1. Medo frente ao martírio que viria a acontecer.
 Será que Cristo tinha medo de morrer?
 Ora, por diversas vez…

Salmos 90:12

"Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio." A cada dia estamos ficando velhos. Partes do nosso corpo já funcionam de maneira diferente ao que funcionavam há alguns anos atrás. Não fique triste por isso. Alegre-se, pois isso está ensinando que a vida terrena não é eterna, pois o melhor já está preparado para possuirmos: um novo corpo glorificado. Quando contamos os nossos dias, valorizamos cada instante proporcionado por Deus. Aprendemos a viver bem aqui, para, assim, conhecermos a verdadeira vida prometida por Deus. Contar os nossos dias é saber que "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus", é poder dizer "tudo posso naquele que me fortalece", é dizer ao Pai: "seja feita a Sua vontade", é "entregar o caminho ao Senhor, confiar Nele, sabendo que tudo que necessito será acrescentado". Estas são as maravilhas de Deus para os seus filhos. É Ele mesmo que nos convida a contarmos cada …
A profecia bíblica não serve para satisfazer a pura curiosidade nem para especulações malucas ou para “revelações” particulares. Pelo contrário, ela nos fará praticantes da Palavra, cristãos com Jesus no centro de suas vidas, que vivem e agem de acordo com essa realidade. O próprio Senhor nos exorta a analisar o tempo em que vivemos à luz da profecia bíblica. Profecia hoje: sinais dos tempos Quando os fariseus e saduceus tentaram o Senhor Jesus pedindo-Lhe que mostrasse um sinal do céu, Ele lhes respondeu: “Chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está avermelhado; e, pela manhã: Hoje, haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?” (Mt 16.2-3). Os religiosos daquela época não perceberam que o maior sinal de todos os tempos encontrava-se, em carne e sangue, bem à sua frente, e este era o Salvador Prometido. E hoje, diant…